quinta-feira, 28 de abril de 2011

Diaba

















Joga com toda a força que a raiva te dá. Grita.
Quebra tudo e chora. De costas, pro mundo não ver.
Não a abrace. Seus sorrisos matam.
Não encoste nela desse jeito. Inferno.
Não riam como se não importasse. Grita. Grita mais alto.

Por favor, não a olhe com esse olhar de pena. Não sinta pena.
Apenas a deixe em paz. Ou melhor, a deixe assim.
É assim que deve ser.

(É assim que se assiste, não é?!)
Essa noite sonhei com essas pessoas denovo.
E aonde foi parar a lucidez?

Um comentário: